SONETOS - Quatro anos, cinquenta sonetos.

Escrevi setenta sonetos em quatro anos, eliminei certa parte e, em 2006, publiquei cinquenta.
Vários leitores, curiosos e outros indagaram-me a respeito da feitura dos sonetos e também dos motivos que levaram-me a produzi-los.
Este espaço pré-existia ao lançamento do livro e tornou-se então o lugar ideal para a satisfação dos leitores mais afoitos.
Há uma possibilidade gigantesca de eu voltar a produzir neste formato encantador e em desuso. Justamente este: o desuso, é o aspecto que mais encanta-me na literatura.

Forte abraço.

Marcelo Finholdt - março de 2010

terça-feira, 6 de dezembro de 2005

SONETO XXXIX







Dedicado a Andréia Formenton Mesquita.*


Foi um fruto do outono eclodindo na vida...

Foi um gesto de vida, inspirou versarias,
Foi a luz de um escuro e o escuro de um dia,
Foi à vida sem medo e encontrou a partida.

Foi de vez para a vida, iniciou-se na ida...

Foi um gesto de vida esbanjando poesia,
Foi de fato feliz fomentando alegria,
Foi um belo sorriso, uma fé incontida.

Foi o fim do começo esbanjando beleza,

Foi sutil e vistosa, era flor: Azaléia!
Foi o oposto do não, foi o sim de Teresa.

Foi então o resumo, era mesmo uma Déia!

Foi tão simples, porém demonstrou sutileza,
Foi, vem sendo, será sempre assim: Só... Andréia.



Não conheci Andréia mas, trago aqui comigo outra sensação. Ocorreu-me grande simpatia, quase um "rapport", assim que avistei sua lápide. Havia algo ao redor que pedia... algo. Eu já sabia o que era... era novamente poesia, poesia pedindo para nascer, mas... desta vez pensei estar indo longe demais, afinal: poesia para falecidos? Por quê? Para quê? Entendi que jamais precisei de motivo qualquer para escrever, muito pelo contrário, sempre precisei de excelentes, raros motivos e, literalmente "pari" o soneto acima.


Abraços, Marcelo Finholdt - 12/06/2005
mfinholdt@ig.com.br

3 comentários:

  1. Não é só por voc~e ser meu amigo: eesa poesia está lindíssima!!! E o que você escreveu abaixo, também!!!
    Tenho orgulho da tua amizade!!!

    ResponderExcluir
  2. Calunguinha;
    vc sempre me mostrou com muita clareza, a pessoa q. ai dentro de vc se esconde, pessoa essa q. tem o dom de transformar simples palavras em belas poesias q. sempre mexe com o coração da gente.
    beijos Mutrlinha!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá Marcelo, amei os seus poemas.
    Caramba, te conheço a tanto tempo e ao mesmo tempo tão pouco.
    Que bom que vc escreve palavras bonitas e faz as pessoas se sentir melhor. Parabens, continue assim, beijos da amiga....ANA !

    ResponderExcluir